Musas do rock – “Quase um segundo” Paralamas do Sucesso

O letrista Hebert Viana sempre oscilou entre o animado e o depressivo em suas canções. Tem umas que animam demais e outras nem tanto assim. Isso ficou evidente no disco “Bora Bora” (1988). Se o lado A do LP era tudo para cima, o lado B mandava tudo para baixo. Dapieve conta que em um encontro de Cazuza com Hebert, o primeiro havia dito que Hebert havia roubado o lado B do eterno poeta.
Algumas canções provam isso como “Uns Dias” e “O fundo do coração”. Mas a ferida exposta está em “Quase um segundo”. Lá, entre outras coisas, Hebert diz: “Eu queria ver no escuro do mundo onde está tudo o que você quer para me transformar no que te agrada”. E assim vai. O motivo de tamanha fossa? Paula Toller, vocalista do Kid Abelha.
Hebert e Paula eram considerados, vamos assim dizer, o casal do rock 80. De um lado o vocalista e guitarrista de uma das maiores bandas, os Paralamas do Sucesso; e do outro a musa do nosso BRock e vocalista do Kid Abelha.
O fim do casamento deixou Hebert muito triste e esta tristeza ele colocou em público através de suas canções. E viva o amor!
Fabricio Mazocco

Fabricio Mazocco é jornalista, doutor em Ciência Política, professor universitário, fã de rock e criador do blog Rock 80 Brasil.

https://www.facebook.com/fabricio.mazocco

Um comentário em “Musas do rock – “Quase um segundo” Paralamas do Sucesso

Deixe uma resposta

Top