RockDisco – Exagerado, do Cazuza

Em 1985 o Brasil pulsava seu rock 80 Brasil. No Rock in Rio, o nosso rock Brasil mostrou que não estava para brincadeira. E um dos grupos responsáveis por isso foi o Barão Vermelho, que exalou o bom rock n´ roll para aquele imenso público. Mas se no palco o quinteto Cazuza, Frejat, Dé, Guto e Maurício estava afinadíssimo, o mesmo não acontecia nos bastidores. E foi neste mesmo ano, às vésperas de entrar no estúdio para a gravação do quarto disco da banda, que o vocalista Cazuza decide seguir carreira solo. Cazuza lançou o álbum “Exagerado” em 1985 e emplacou sucessos como a faixa-título, “Mal Nenhum” e “Codinome Beija Flor”. Confira abaixo o texto do saudoso Ezequiel Neves sobre este disco, publicado no site do Cazuza. E lembre-se, ouça as músicas, mas sempre compre o CD original.
“Às vésperas de entrarmos em estúdio para gravarmos o quarto disco do Barão, em julho de 1985, Cazuza decidiu sair do grupo para seguir carreira solo. O fato era explicável; filho único não costumava dividir nada com ninguém e os atritos com os outros garotos já vinham acontecendo há vários meses: ‘the thrill is gone’. Fui franco com ele: ‘Você é ótimo, mas a banda também é ótima. Fico com você e com o grupo’. Ele arregalou os olhos, mas percebeu que eu tinha razão. Topou. 
Partimos então para a escolha das músicas de seu primeiro disco-solo: o Barão ficaria com metade do repertório do quarto disco, que ainda seria com o cantor e letrista Cazuza, e este com a outra metade. Isso incluia petardos como ‘Exagerado’, ‘Mal nenhum’, ‘Só as mães são felizes’ (que posteriormente teve a execução proibida em todo o território nacional), ‘Cúmplice’ e ‘Boa vida’. Cazuza comporia, mais tarde, a obra prima ‘Codinome Beija-flor’. 
Resolvemos entrar nos estúdios da Som Livre em setembro e procuramos Nico Rezende para assinar os arranjos e a co-produção musical. Nico já havia produzido conosco ‘Amor, amor’, lado B do compacto ‘Bete Balanço’ e quando lhe mostramos o material para o disco ficou pasmo. ‘O LP já está pronto, o repertório é um arraso’- falou. Mas não foi tão fácil assim.
Nico, além de cuidar dos teclados, recrutou músicos excelentes, entre os quais Rogério Meanda, excelente guitarrista e que mais tarde, se tornaria parceiro de Cazuza. Rezende, porém, queria enfatizar os teclados e Cazuza e eu preferíamos encher o disco de guitarras. Foi o que fizemos, mas a discussão maior foi quanto ao arranjo de ‘Codinome Beija-flor’. 
Reinaldo Arias, autor da música, fez um arranjo horrendo calcado num hit da época, o também horrendo ‘Maniac’. Eu insistia em moldura super-romântica, uma balada acústica à base apenas de piano, violinos e voz. Nico achou um absurdo e disse que aquilo não podia ser mais pobre e antigo. Respondi que todos iam ficar de quatro com aquela simplicidade moderníssima. Cazuza concordou comigo, mas tive de dar escândalo, espernear para Nico concordar. 
‘Codinome Beija-flor’ era uma das letras mais geniais de Cazuza, sensível ao extremo, algo de um poeta da maior categoria. O fato é que além de ‘Exagerado’ ter se tornado uma espécie de ‘grife’ de Cazuza, ‘Codinome Beija-flor’ transformou-se em um sucesso eterno.”
Rock 80 Brasil

Notícias e curiosidades sobre o rock nacional anos 80.

http://www.rock80brasil.com.br

Um comentário em “RockDisco – Exagerado, do Cazuza

  1. Tenho procurado uma listagem dos 100 maiores discos de rock brasileiro dos anos 80, ou então, uma listagem das bandas desta década. Vc teria alguma ideia de onde encontrar? Obrigado

Deixe uma resposta

Top