Sampa: aqui também tem rock

São Paulo completa hoje 458 anos. Não dá para contar a história do rock 80 Brasil sem passar pela “terra da garoa”. Neste liquificador cultural nasceram bandas que se consagraram nos anos 80 e que até hoje embalam a nossa música.
Alguns especialistas dividem nosso BRock em “fases”. Em um primeiro momento o rock nacional se concentra em uma influência do New Wave trazida pelo saudoso Júlio Barros, do Gang 90. No Rio de Janeiro começam a surgir os primeiros estalos do BRock no mainstream, marcado principalmente por uma música alegre e cheios de histórias. Paralelo, São Paulo e Brasília começam a gerar uma segunda “onda” do rock, com letras políticas, “palavras-de-ordem” e denúncia social.
São Paulo vivia, na primeira década de 80, uma efervescência cultural. Casas de show exalam uma atitude rock, tendo uma forte influência do movimento punk inglês. Casas como “Madame Satã”, passaram a abrigar músicos que pouco tempo depois estavam levando o rock nacional a um novo patamar. Entre eles estavam Titãs, Ultraje a Rigor, Ira!, RPM, Inocentes, Ratos de Porão, entre outros.
No vídeo abaixo, feito por estudantes de jornalismo da Metodista, conheça um pouco mais sobre o Madame Satã e sua importância para o BRock.

Fabricio Mazocco

Fabricio Mazocco é jornalista, doutor em Ciência Política, professor universitário, fã de rock e criador do blog Rock 80 Brasil.

https://www.facebook.com/fabricio.mazocco

Deixe uma resposta

Top